Show cover of E eu com isso?

E eu com isso?

O 'E eu com isso?' é o podcast do Instituto Brasil-Israel. Com convidados diferentes, aprofundamos questões religiosas, éticas, políticas e sociais, sempre evitando análises rasas e estereótipos vazios. Anita Efraim é jornalista, mestre em comunicação política pela Universidad de Chile e santista. Amanda Hatzyrah é professora e pesquisa temas relacionados à literatura e cultura judaica, língua hebraica e sociedade israelense, na Universidade de São Paulo. João Torquato é músico ativista do movimento negro e pesquisa os conflitos que se originaram a partir da desintegração da Iugoslávia.

Músicas

#279 O que se vê em Israel?
Em 7 de outubro de 2023, o mundo presenciou um dos maiores ataques terroristas da história. Neste dia, terroristas do Hamas entraram em território israelense e comentaram um massacre contra civis e militares na região do sul do país. Deixando milhares de mortos, casas destruídas e sequestrando outras centenas de pessoas, não apenas israelenses, mas também imigrantes e trabalhadores dos kibutzim próximos da fronteira com a Faixa de Gaza. Nesses 9 meses de conflito, aqui no podcast falamos sobre diversos temas  relacionados à guerra e aos impactos na sociedade isralense, mas o que mudou de lá pra cá e como é visitar Israel e as áreas atacadas no pogrom de 7 de outubro? O episódio de hoje será um pouco diferente, nós iremos conversar com a também apresentadora do podcast, Anita Efraim, que além de ser jornalista, fanática por futebol e mestre em comunicação, acabou de retornar de Israel e vai contar um pouquinho pra gente como foi essa experiência.
39:33 17/07/2024
#278 Ultraortodoxos no exército
Na fundação do Estado de Israel, o primeiro primeiro-ministro do país, David Ben Gurion, permitiu que os ultraortodoxos se isentassem do alistamento militar - obrigatório a todos os outros. Naquele momento, a população ultraortodoxa era pequena, mas 76 anos se passaram e eles são milhares. Esse é um dos tantos dilemas da sociedade israelense. No dia 25 de julho, a Suprema Corte de Israel definiu que não há nenhuma justificativa legal para que a população ultraortodoxa não se aliste. Essa crise pode derrubar o governo de Benjamin Netanyahu e pode significar uma mudança importante na sociedade israelense. Para conversar com a gente sobre esse tema, nossa convidada é Marta Topel, antropóloga, livre docente da Universidade de São Paulo e vice-diretora do Centro de Estudos Judaicos da mesma universidade, autora de “O sagrado e o impuro no judaísmo: lei, comida e identidade”.
32:06 10/07/2024
#277 A história das polacas
No último dia 27 de julho, o Instituto Brasil-Israel em parceria com a comunidade Shalom e com a Casa do Povo, fez uma visita guiada ao cemitério israelita de Cubatão para conhecer a história das “polacas”,  que eram mulheres judias do leste europeu que vieram ao Brasil em busca de trabalho e que aqui foram convertidas em prostitutas. Estas, por não poderem ser enterradas no mesmo cemitério que os demais judeus, fundaram o Cemitério Israelita de Cubatão (em 1928), e que, desde 2010, se tornou um patrimônio histórico do Brasil. Mas quem eram essas mulheres, como viviam e por que tantas delas foram enterradas no cemitério de Cubatão? Para nos ajudar a entender melhor essa história, temos a honra de receber uma especialista no assunto, a Beatriz Kushnir, que é doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas. Autora, entre outros, de Baile de máscaras: as polacas e suas associações de ajuda mútua (Imago). Foi Diretora do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro entre 2005-20. Pesquisadora vinculada ao INCT-Proprietas. Professora do PPGARQ/Unirio e do PPGH/UFF.
39:57 03/07/2024
#276 Aborto no judaísmo: pode?
Nas últimas semanas, tomou conta das redes a discussão em torno do tema sobre o aborto, no Brasil, por conta do PL 1904-24, que equipara a punição de abortos realizados após as 22 semanas à pena por homicídio, inclusive em gestações decorrentes de estupro, que pode chegar a 20 anos, pena superior à que receberia o próprio estuprador. Além de absurdo, o PL é um retrocesso no que diz respeito aos direitos das meninas e mulheres brasileiras. Com toda essa discussão em torno do tema, decidimos abordar a questão do aborto a partir de uma perspectiva judaica e contar um pouco para você, ouvinte do nosso podcast, como funciona o direito à interrupção da gravidez para mulheres israelenses. Nossa convidada hoje é a Rabina Fernanda Tomchinsky, da Comunidade Shalom, formada em Psicologia pela PUC-SP, rabina pelo Seminário Rabínico Latino-Americano.
38:39 26/06/2024
#275 LGBTQIA+: pauta de guerra?
O confronto de ideias envolvendo a guerra entre Israel e Hamas é mais uma prova de que a polarização é inimiga dos debates profundos. Nesse contexto, aproveitamos que junho é o mês do orgulho para falar sobre como a pauta LGBTQIA+ tem sido instrumentalizada durante esse conflito, que já se estende por mais de 8 meses. Toda hora a gente ouve alguma coisa como “não dá pra apoiar a causa e ser sionista”, ou, do outro lado, “vocês não sabem o que acontece com LGBTs em Gaza”. Será que esse tipo de argumentação faz algum sentido? Nossa convidada hoje é a Daniela Wainer, escritora, editora, uma das coordenadoras do Gaavah, coletivo judaico LGBTQIA+ do IBI.
37:36 19/06/2024
#274 Ressignificar a Torá
Entre os dias 11 e 13 de julho, celebramos Shavuot, que para muitos é uma oportunidade de fortalecer sua fé e se conectar com a sabedoria da Torá, mas não só. Shavuot nos convida também à reflexão sobre como a própria Torá e seus ensinamentos podem ser ressignificados para o século em que vivemos. O que significa a Torá para nós hoje, em um mundo tão diferente daquele em que foi revelada? Como podemos encontrar relevância e significado em seus ensinamentos milenares em meio aos desafios do século XXI? Para falar sobre esse tema, nosso convidado é o rabino Natan Freller, depois de quase uma década de estudos e trabalhos rabínicos nos Estados Unidos e Israel, retornou ao Brasil e está atuando como rabino na Congregação Israelita Paulista.
47:11 12/06/2024
#273 Os reféns vão voltar?
Nesta semana, lembramos 8 meses do dia de 7 de outubro. A guerra se estende e segue acumulando vítimas, enquanto restos mortais de israelenses ainda são encontrados, tal era o estado de seus corpos. Neste contexto, um episódio chamou bastante atenção: a morte de 45 palestinos em um campo de refugiados em Rafah. Será que esse caso pode ser um ponto de virada numa guerra que parece ser interminável? Depois de Rafah, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, expôs um plano de cessar-fogo que teria sido feito por Israel, e agora esse é o assunto do momento no noticiário israelense. Nosso convidado é Henry Galsky, diretor de jornalismo do portal Israel de Fato, que traz notícias sobre Israel em português. 
31:30 05/06/2024
#272 Conflitos e o direito ao luto, com Christian Dunker
Apesar de se tratar de um tema universal, a experiência do luto, esse processo de elaboração interna das perdas que experimentamos, também é muito singular para cada sujeito. Mas como essas vivências interagem com nossos processos internos e nos afetam psiquicamente? Mais do que nunca, é importante refletir sobre o tema, como experiência individual, mas também coletiva. Quantas perdas materiais e simbólicas, diretas e indiretas, temos vivenciado desde o 7 de outubro? Ou desde que as enchentes do Rio Grande do Sul devastaram vidas humanas e cidades inteiras? Quais os caminhos possíveis para elaborar essas perdas e ressignificá-las? Pra conversar com a gente sobre esse tema super complexo e delicado, nós convidamos o psicanalista, Christian Dunker, que é também professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, dono do canal do YouTube, "Falando nisso", e  que recentemente lançou um livro inteiro falando sobre o tema, sob o título “Lutos finitos e infinitos”, pela editora Paidós.
59:07 29/05/2024
#271 Caso de antissemitismo na PUC-SP
Na semana passada, Luiggi Lellis, aluno do curso de Serviço Social da PUC São Paulo usou as redes sociais pra contar que havia sido expulso da chapa do Centro Acadêmico. O motivo era o fato de ele se identificar como sionista. Talvez alguns pensem que ele exagerou ou que não foi bem assim, mas, o próprio grupo de alunos confirmou essa versão. Pra conversar com a gente sobre esse caso, nós convidamos o próprio Luiggi Lellis, que passou por essa situação. 
41:36 22/05/2024
#270 Ressignificando datas nacionais
O dia dessa gravação é segunda-feira, 13 de maio de 2024. Hoje, é Iom Hazikaron, Dia de Lembrança dos Caídos em Guerra e Vítimas do terrorismo. Amanhã, 14 de maio, é Iom Haatzmaut, Dia da Independência de Israel. E no dia seguinte, 15 de maio, os palestinos lembram o que chamam de Nakba, que quer dizer desgraça. São datas nacionais importantes para os dois povos. Mas, provavelmente, não serão as mesmas após o 7 de outubro. O mesmo vale para Iom Hashoá, que aconteceu na semana anterior. Nossa ideia é refletir sobre a mudança do ethos da sociedade israelense, provocada pelo 7 de outubro. E também olhar para a situação palestina, que vê o atual momento como uma “nova Nakba”. Nosso convidado é Daniel Douek, cientista social. Mestre em Letras pelo programa de Estudos Judaicos e Árabes da USP e assessor especial do IBI. TED: Palestinian and Israeli face to face Newsletter: Independência é ter paz
37:13 15/05/2024
#269 Protestos nas universidades nos EUA
Há algumas semanas, os campi das universidades dos Estados Unidos viraram espaços de uma batalha ideológica, gerando debates em todo o mundo. Enquanto militantes que se dizem “pró-Palestina” alegam estarem lutando pela autodeterminação de um povo, alunos judeus se dizem oprimidos e, em algumas situações, até impedidos de entrarem em campi. A reivindicação dos militantes nos campi das universidades norte-americanas é justa? Em que ponto a luta pela autodeterminação palestina passa a ter caráter antissemita? Para nos ajudar a entender a situação, nosso convidado é Eduardo Rawet, estudante de PhD em economia na American University e membro do coletivo Judeus pela Democracia.
52:19 08/05/2024
#268 Um soldado em Gaza - pt. 2
PARTE 2 Esse é um episódio sobre vivência. Sobre realidade. Nosso objetivo é trazer um relato de alguém que esteve dentro de Gaza durante essa guerra, que ainda não acabou. A partir da escuta, cada um pode formar sua própria opinião. Mas, hoje, nosso papel é tentar sair do lugar de espectador pra conhecer uma perspectiva de dentro. Todos sabem o que aconteceu no dia 7 de outubro. E sabem o que aconteceu em seguida: uma ofensiva militar israelense, que se intensificou na Faixa de Gaza. É fácil estar em casa, no computador em frente a TV acompanhando o conflito por meio das notícias. Mas como é que estar no exército de Israel no meio de guerra? Para conversar com a gente sobre esse tema, nós convidamos o Eitan Gottfried. Eitan nasceu e cresceu em São Paulo e há 9 anos mora em Israel, é formado em Ciências Políticas e Estudos Judaicos e hoje trabalha no Israel Democracy Institute. Serviu como primeiro sargento na unidade dos Paraquedistas do Exército de Israel, e foi convocado no mesmo dia 07/10 para o serviço de reserva que durou 128 dias. Participou da batalha no kibutz de Kfar Aza e esteve 55 dias na região de Khan Younis em Gaza.
54:18 01/05/2024
#267 Um soldado em Gaza - pt. 1
PARTE 1 Esse é um episódio sobre vivência. Sobre realidade. Nosso objetivo é trazer um relato de alguém que esteve dentro de Gaza durante essa guerra, que ainda não acabou. A partir da escuta, cada um pode formar sua própria opinião. Mas, hoje, nosso papel é tentar sair do lugar de espectador pra conhecer uma perspectiva de dentro. Todos sabem o que aconteceu no dia 7 de outubro. E sabem o que aconteceu em seguida: uma ofensiva militar israelense, que se intensificou na Faixa de Gaza. É fácil estar em casa, no computador em frente a TV acompanhando o conflito por meio das notícias. Mas como é que estar no exército de Israel no meio de guerra? Para conversar com a gente sobre esse tema, nós convidamos o Eitan Gottfried. Eitan nasceu e cresceu em São Paulo e há 9 anos mora em Israel, é formado em Ciências Políticas e Estudos Judaicos e hoje trabalha no Israel Democracy Institute. Serviu como primeiro sargento na unidade dos Paraquedistas do Exército de Israel, e foi convocado no mesmo dia 07/10 para o serviço de reserva que durou 128 dias. Participou da batalha no kibutz de Kfar Aza e esteve 55 dias na região de Khan Younis em Gaza.
39:29 24/04/2024
#266 Um Pessach em meio a guerra
Este ano, Pessach acontece do dia 22 ao 30 do mês de abril. A cada ano, falar sobre liberdade ganha novos contornos e significados. Após seis meses da guerra que teve início com os ataques do grupo terrorista, Hamas, em 7 de outubro, não há como falar de liberdade sem levar em consideração todos aqueles que foram afetados direta ou indiretamente pelo conflito, que já vitimou milhares de pessoas. Como falar de liberdade quando mães israelenses e palestinas choram a morte de seus filhos e filhas? Como falar da liberdade celebrada em Pessach, pelo povo judeu, quando ainda há civis israelenses feitos reféns em Gaza? Para refletir sobre o tema com a gente, convidamos hoje o Moré Theo Hotz, do rabinato da CIP - Historiador, Hebraísta e Podcaster.
45:08 17/04/2024
#265 Antissemitismo nas escolas
No último domingo, 7 de abril, lembramos a marca de 6 meses desde o ataque do Hamas contra Israel e, subsequentemente, o início da guerra em Gaza. Desde então, temos acompanhado em todo o mundo o aumento do antissemitismo. No Brasil, um dos aspectos que mais chamam atenção são os episódios de hostilidades contra alunos judeus em escolas. Neste episódio, nossa ideia é tentar entender o que leva crianças e adolescentes a praticarem atos antissemitas e compreender a influência da guerra nesse cenário. Nossa convidada é Ilana Katz, psicanalista, doutora em educação pela Faculdade de Educação da USP, pesquisadora no Instituto de Psicologia da USP, participante da Rede Nacional de Pesquisadores em saúde mental de criança e adolescente e participante do JJpD-SP.
38:10 10/04/2024
#264 Trauma e desmentido em 7 de outubro
Desde o 7 de outubro, a memória do Holocausto tem sido evocada para falar sobre aspectos do trauma que eventos como esses deixam na História Judaica, sobretudo quando não há espaço para legitimação das dores de suas vítimas. De que forma sobreviventes de eventos traumáticos podem elaborar sua experiência, mesmo diante do negacionismo? E como ser empáticos com vítimas de atrocidades, como a guerra em curso entre Israel e o grupo terrorista Hamas? Nossa convidada hoje é a Flávia Steuer, que é psicanalista, membro do Departamento de Psicanálise do Sedes Sapientiae, membro filiado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo e Co-Autora de capítulo Falas e Ecos do Trauma do livro Testemunho e Experiência Traumática Trauma em Tempos de Catástrofe, pela Editora Escuta", e também coordena as Rodas de Conversa e Acolhimento do IBI.
34:42 03/04/2024
#263 Viagem de Tarcísio e Caiado a Israel
Em meio à crise diplomática entre o governo brasileiro e o governo israelense desde a fatídica declaração do presidente Lula comparando as ações militares do exército de Israel em Gaza com o Holocausto, o governador de Goiás Ronaldo Caiado (União Brasil) e o governador de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) decidiram fazer uma visita a Israel e se encontrar com autoridades do país. Mas qual é o motivo dessa visita? E quais as implicações políticas dessa viagem? Para conversar com a gente sobre esse assunto, convidamos o Henry Galsky, que é jornalista, editor do portal Israel de Fato e vive em Israel. Gravado na Federação Israelita do Estado de São Paulo
37:26 27/03/2024
#262 Tsé: o registro da história
Tsecha Szpigel tinha só 14 anos quando foi empurrada de um trem. Ela se viu sozinha no mundo, mas foi isso que salvou a vida daquela jovem judia polonesa. Mais conhecida como Tsé, ela sobreviveu ao Holocausto, chegou ao Brasil. Aqui, ela construiu uma vida e uma grande família. Toda essa história foi documentada e está contada no documentário “Tsé”, disponível agora na GloboPlay. Nosso convidado é Fábio Kow, cineasta, diretor do documentário e neto da Tsé.
37:47 20/03/2024
#261 Sobrevivente de 7/10, o relato de Rafael Zimerman
No dia 7 de outubro de 2023, Israel foi vítima de um dos maiores ataques terroristas da história, com uma invasão por terra do grupo terrorista Hamas, que entrou no território israelense e atacou cidades, kibutzim e matou mais de 1.200 pessoas. Um dos locais atacados pelo grupo terrorista foi a festa Nova, um festival de música eletrônica que acontecia próximo à Faixa de Gaza, na região Sul de Israel. Conversamos com Rafael Zimerman, brasileiro que mora em Israel e é um dos sobreviventes da festa que foi atacada pelo Hamas no dia fatídico 7 de outubro.
44:30 13/03/2024
#260 Mulheres e as guerras
Existe uma passagem do livro Mulheres de Cinzas, de Mia Couto, que ilustra a situação de mulheres em meio a uma guerra. Seu eu-lírico diz que "A diferença entre a Guerra e a Paz é a seguinte: na Guerra, os pobres são os primeiros a serem mortos; na Paz os pobres são os primeiros a morrer. Para nós, mulheres, há ainda uma outra diferença: na Guerra, passamos a ser violadas por quem não conhecemos". Muito se falou sobre a guerra entre Israel e Hamas, desde o 7 de outubro. Mas pouco se ouviu das mulheres, israelenses ou palestinas, sobre as dores que só quem é mulher vivencia nesse que é um dos piores contextos. Nossa convidada é Adriana Carranca, escritora e jornalista, especializada na cobertura de conflitos, crises humanitárias e direitos humanos, com olhar especial sobre a condição das mulheres.
38:32 06/03/2024
#259 Guerra nas redes
A guerra entre Israel e Hamas acontece nos campos de batalha, mas também nas redes sociais. Há muita mobilização de setores pró-Israel e pró Palestina. Mas, o uso da internet nesta guerra vai muito além disso. Enquanto o Hamas usa as redes sociais como ferramenta de terrorismo psicológico, há soldados do Exército de Israel divulgam imagens sádicas, fazendo supostas piadas ao destruírem casas e prédios na Faixa de Gaza.  Para falar sobre a relevância das redes sociais nesta guerra, nosso convidado é David Nemer, professor nos Departamentos de Estudos de Mídia e Antropologia na Universidade da Virgínia, e pesquisador associado do Berkman Klein Center for Internet and Society na Universidade de Harvard e autor de Tecnologia do Oprimido. 
39:06 28/02/2024
#258 As falas de Lula
Tem semanas em que a gente é completamente atropelado pelo noticiário. Essa é uma delas. A gente mudou todo o cronograma pra conversar aqui sobre as recentes falas de Lula: na Etiópia, o presidente do Brasil comparou a ofensiva israelense em Gaza ao Holocausto. Nesse episódio, nossa ideia é falar sobre as consequências deste caso para a geopolítica brasileira e traduzir gestos que parecem simples, mas, na diplomacia, são muito relevantes. Nossa convidada é Karina Calandrin, assessora acadêmica do IBI, doutora em Relações Internacionais e pesquisadora de pós-doutorado do Instituto de Relações Internacionais da USP. 
43:20 21/02/2024
#257 O que é um judeu religioso
Quando um judeu diz que é religioso, automaticamente, muito pensam em um homem vestido de preto, com um chapéu, uma barba branca longa, que reza em uma sinagoga onde homens e mulheres rezam separados. Ele, provavelmente, é um religioso. Mas é o único? Pra tentar desmitificar esse assunto e tentar ampliar o escopo do que é um “judeu religioso”, convidamos o rabino Rodrigo Baumworcel, rabino na sinagoga Kehilat HaLev, em Tel Aviv.
34:06 14/02/2024
#256 Um povo e sua terra
Hoje, dia 7 de fevereiro, dia em que esse episódio vai ao ar, é celebrado o Dia Nacional de Luta dos Povos Indígenas no Brasil. A data, criada em 2008, chama a atenção para a luta dos povos originários do Brasil. O que conecta os povos indígenas ao povo judeu, para além de uma história de apagamento e extermínio? E por que é importante que as pautas dos povos originários sejam abraçadas também pelos não-indígenas, para manter vivas essas populações e sua cultura? Hoje nossa convidada é a Shirley Krenak, ativista e escritora formada em Comunicação Social, pertencente ao povo Krenak e atualmente coordena o Instituto Shirley Krenak, que desenvolve diversas atividades nas áreas ambiental, educacional, social e cultural.
33:51 07/02/2024
#255 Judaísmo e o tempo
Na tradição judaica, o tempo é muitas vezes referido como espaço sagrado, assim como o livro seria o verdadeiro templo do povo judeu. Para Spinoza, o tempo é meramente um acidente do movimento, um modo de pensar. Já Heschel considerava o tempo o coração da existência. Para Freud, o inconsciente humano é alheio à cronologia, num estado de atemporalidade ou de tempos múltiplos. Há visões muito diversas sobre a forma como o judaísmo encara o conceito de tempo, mas de que forma essas relações moldam a identidade judaica, hoje? Para conversar sobre o tema, convidamos Gabri Kucuruza, que é artista, bacharel em Ciências Sociais e cursa mestrado em História, Política e Bens Culturais pela FGV CPDOC. Integra o Grupo de Pesquisa  “Diálogos da Diáspora: Racismo e Antissemitismo” do Labô e o IBI no Campus, e a coletivo judaico Kehilá Judies ao Sul.
47:41 31/01/2024
#254 Holocausto tem comparação?
No próximo dia 27, lembramos os 79 anos da libertação de Auschwitz, o mais conhecido campo de concentração nazista. Lá, morreram um milhão de pessoas nos fornos crematórios e câmaras de gás, além das vítimas da fome, das doenças e da violência. Às vésperas dessa data, o “E eu com isso?”, podcast do Instituto Brasil-Israel, fala sobre as comparações com o Holocausto. Nosso convidado é Michel Erlich, historiador e coordenador do departamento de História. Museu do Holocausto de Curitiba.
41:48 24/01/2024
#253 Antissionismo ou antissemitismo?
Desde o começo da guerra entre Israel e o grupo terrorista o Hamas, os casos de antissemitismo explodiram no Brasil. De janeiro a outubro, observou-se um aumento de 133% nas denúncias de atos e ameaças contra judeu em comparação com o mesmo período de 2022. Foram 467 denúncias registradas ante as 44 em outubro de 2022, um aumento de 961%. Os dados são da CONIB (Confederação Israelita Brasileira) e da FISESP (Federação Israelita do Estado de São Paulo). Muitos desses casos de antissemitsmo vem da normalização de uma narrativa  contra israelenses e judeus  em setores da esquerda, que enxergam Israel como um Estado colonial que precisa ser combatido. Muito desse antissemtismo da esquerda é justificado como “antisionsimo”, seria um ódio ao Estado de Israel e não aos judeus, mas será que é mesmo? Para conversar com a gente sobre o tema, nós convidamos Daniel Feldman, professor da Universidade Federal de São Paulo e membro do Coletivo Judias e Judeus pela Democracia – SP.
62:54 17/01/2024
#252 Violência sexual invisível
O 7 de outubro de 2023 foi um dia extremamente traumático para os israelenses. O choque inicial impediu que, de forma imediata, as nuances do crime cometido pelo Hamas fossem compreendidas na totalidade. Aos poucos, as mais cruéis violações foram sendo abordadas, até que começássemos a falar dos crimes sexuais. Apesar dos relatos estarrecedores, a repercussão desse assunto pelo mundo é relativamente pequena. Por que? Nossa convidada é Anelise Fróes, cientista social, pós-doutoranda no LABÔ - Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da PUC-SP. Coordenadora do Projeto "Estudos da Diáspora - Racismo e Antissemitismo". Leia um resumo da reportagem do New York Times.
43:50 17/01/2024
#251 Depende do contexto? Os EUA e a guerra em Israel
A gente ouve muito falar que os Estados Unidos são um país alinhado com Israel. Do ponto de vista do governo, até segue sendo - apesar da pressão do presidente Joe Biden para que Netanyahu acabe com a guerra. Mas, dentro da sociedade, tudo mudou de figura. O antissemitismo cresceu e as gerações mais jovens estão cada vez mais hostis a Israel e ao judeus. Nossa convidada hoje é uma conhecida do nosso público: Ana Clara Buchmann, também conhecida como Malka, que foi apresentadora aqui do podcast durante um bom tempo. Ela mora nos Estados Unidos, em Boston, e tem vivenciado essa mudança na sociedade norte-americana desde o dia 7 de outubro. 
37:58 17/01/2024
#250 E depois da guerra?
São semanas e semanas falando de guerra, detalhando a destruição e a barbárie que um conflito como este, entre Israel e Hamas, gera. O que a gente tem se perguntado agora é: é possível olhar para frente e projetar o futuro? E será que este futuro seria melhor? Nosso convidado hoje é Marcos Gorinstein, brasileiro que mora em Israel e apresenta o podcast “Do lado esquerdo do muro”, ao lado do João Miragaya. Marcos, bem-vindo e parabéns pelo trabalho no podcast, especialmente neste período de guerra. 
59:58 17/01/2024

Podcasts semelhantes