Show cover of IndieLisboa podcasts

IndieLisboa podcasts

As conversas que acontecem no âmbito das edições do IndieLisboa - Festival Internacional de Cinema. ___ The conversations that take place during the IndieLisboa - International Film Festival editions.

Tracks

LisbonTalks 2022 - New Matters and Languages - De(constructed) Cinema [EN]
Moderation: Ulrich Ziemons (Forum Expanded Berlinale) Participants: Jorge Jácome (Supernatural), Sílvia das Fadas (Artista Visual) and Emmanuel Lefrant (Director of Light Cone) The line between the movie theater and the gallery space is increasingly blurred. Analog formats developed in a DIY fashion, the amateurism of the handycam, video games, found footage, memes, Instagram filters and TikTok trends are raw material on the editing table that ends up in the works that cohabit both exhibition spaces. Is the way they’re seen different? The talk NEW MATTERS AND LANGUAGES – (DE)CONSTRUCTED CINEMA took place on May 5th, at 3pm, at Universidade Lusófona.
81:15 09/19/2022
LisbonTalks 2022 - FILMar with IndieLisboa [EN]
Moderation: Ricardo Vieira Lisboa Participants: Carlos Almeida, Tiago Bartolomeu Costa (FILMar) and Kjell Runar Jenssen As part of the presentation of recently restored copies carried out by FILMar, a project led by the Cinematheque that aims to restore, promote and disseminate filmic heritage related to the sea, let’s talk about the importance of preserving and distributing our cultural heritage. As part of an alternative exhibition circuit, it aims to make known the history of Portuguese cinema and the respective traditions of the sea. A knowledge platform. The talk FILMar WITH INDIELISBOA took place on May 4th, at 4:30pm, at Universidade Lusófona.
83:19 09/12/2022
LisbonTalks 2022 - Girls Beware! Doris Wishman's Cinema [EN]
Moderation: Daniella Shreir With: Peggy Ahwesh and Lisa Petrucci Doris Wishman, a counterculture filmmaker from the margins, from independent cinema, IndieLisboa’s 2022 retrospective. Roundtable about her ability to figure female sexuality through sexploitation with the resonance of fear and hostility towards the women of our world, in the patriarchal universe that her films intended to describe as well as work within. Indecent desires or a wake-up call? The talk GIRLS BEWARE! DORIS WISHMAN’S CINEMA took place on May 3rd, at 6pm, at Cinemateca Portuguesa, in Lisbon.
62:34 09/05/2022
LisbonTalks 2022 - WOMEX & IndieMusic [EN]
Moderated by Lucia Udvardyova (WOMEX) Participants: Alessandro Melazzini - Director of "Italo Disco: The Sparkling Sound of the 80s" Ana Sofia Fonseca - Director of "Cesária Évora" Pedro Coquenão - Director of "Batida Apresenta: The Almost Perfect DJ" This year, WOMEX – an expo that aims to promote creativity and support the role of music cultures – will take place in Lisbon in October. As a warm-up, we jump-start from this year’s IndieMusic programme to talk about music from around the world, interculturalism and how it’s crafted for the big screen. Let’s talk art, history, culture, activism and politics on the beat. The talk WOMEX & INDIEMUSIC took place on May 2nd, at 4:30pm, at Universidade Lusófona, in Lisbon.
75:07 08/29/2022
Director's Talks 2021 - Bence Fliegauf + Norika Sefa [EN]
For the last conversation in Directors’ Talks at IndieLisboa 2021, we invited Bence Fliegauf (Forest - I See You Everywhere) and Norika Sefa (Looking for Venera). The conversation, moderated by Carlos Natálio, programmer. was recorded on September 1, 2021 .Norika  Sefa is a Prague-based Kosovan filmmaker. She holds a master’s degree  from FAMU in Prague. In her films, she often merges fiction and  documentary. Sefa directed the short Desde arriba (2020) under the guidance of Werner Herzog. Looking for Venera (2021) is her debut feature, with its world premiere at IFFR. Born  in Budapest, Hungary in 1974, the writer, director, production designer and sound designer, Bence Fliegauf, initially trained as a stage designer. In 2003, his  debut feature film Forest screened in the Forum where it won the Wolfgang Staudte Award. His second film, Dealer, also screened in the Forum and won the Audience Award, while Milky Way won the Golden Leopard at the Locarno Film Festival. In 2012, Just the Wind was selected for the Berlinale Competition and won awards including the Jury Grand Prix. —— Para a última conversa de Directors' Talks no IndieLisboa 2021, convidámos Bence Fliegauf (Forest - I See You Everywhere) e Norika Sefa (Looking for Venera). A conversa, moderada por Carlos Natálio, programador do festival, foi gravada dia 1 de Setembro de 2021. Norika  Sefa é uma cineasta do Kosovo residente em Praga. Sefa tem um mestrado  da FAMU em Praga. Nos seus filmes, combina frequentemente ficção e  documentário. Sefa realizou a curta-metragem Desde arriba (2020) sob a orientação de Werner Herzog. Looking for Venera (2021), com estreia mundial no IFFR, é a sua primeira longa-metragem. Nascido  em Budapeste, Hungria, em 1974, o escritor, director, designer de  produção e designer de som,  Bence Fliegauf,  formou-se inicialmente como cenógrafo. Em  2003, a sua longa-metragem de estreia Forest foi exibida no Fórum, onde ganhou o Prémio Wolfgang Staudte. O seu segundo filme, Dealer, também foi exibido no Fórum e ganhou o Prémio do Público, enquanto a Via Láctea ganhou o Leopardo de Ouro no Festival de Cinema de Locarno. Em 2012, Just the Wind foi seleccionado para a Competição Berlinale e ganhou prémios, incluindo o Grande Prémio do Júri.
56:27 09/05/2021
Directors' Talks 2021 - Julien Faraut + Olya Korsun [EN]
Julien Faraut (Les Sorciéres de L’Orient) e Olya Korsun (Blue Rose), conversam com Carlos Natálio, programador do festival, na terceira Directors' Talk, gravada no dia 30 de Agosto, no IndieLisboa 2021. Julien Faraut (1978) é um documentarista francês. Depois de estudar história, trabalhou no Institut National Du Sport em Paris, onde supervisionou uma coleção de filmes 16mm. Usando esse material, Faraut fez os seus próprios ensaios visuais, combinando história do desporto e arte documentária. A sua filmografia é composta pelos documentários Regard neuf sur Olympia 52 (2013), Entrainement (2014, curta-metragem), JJBallet (2015, curta-metragem), L’empire de la perfection/In the Real of Perfection (2018) e Les Sorciéres de l’Orient (2021). Olya Korsin é uma documentarista e investigadora visual. Nos seus trabalhos, Olya explora a relação entre o ser humano moderno e a natureza, tanto “aculturada” quanto “selvagem”, buscando encontrar as formas de superar o vazio que existe entre as duas. Actualmente, Olya vive e trabalha em Amesterdão, onde foi selecionada para o programa de investigação experimental F is for Fact de Barbara Visser no Institue Sandberg. Com Blue Rose a marcar a sua estreia como realizadora, Olya também trabalhou nos últimos anos como directora criativa e produtora de filmes comerciais e documentários que foram selecionados por festivais internacionais como o Visions Du Réel (Suiça) e Hot Docs (Canada).
61:04 09/02/2021
Directors' Talks 2021 - Marta Sousa Ribeiro + Gonçalo Lamas + Tomás Paula Marques [PT]
Na segunda Directors' Talks, recebemos Marta Sousa Ribeiro (Simon Chama), Gonçalo Lamas (Granary Squares) e Tomás Paula Marques (Cabra Cega), com moderação de Inês Lima Torres, programadora do festival. Esta conversa foi gravada no dia 29 de Agosto, durante o IndieLisboa 2021. Marta Sousa Ribeiro nasceu em 1992 em Lisboa. Em 2011, interrompeu a sua formação na Escola Superior de Teatro e Cinema, entrando mais tarde no curso de Desenho e Pintura na Ar.Co. Realizou no mesmo ano a sua primeira curta-metragem, AmareloAzulPretoAmarelo. Em 2014, co-fundou a produtora de cinema e vídeo Videolotion onde produziu, com Pedro Cabeleira, a longa-metragem Verão Danado (2017). Realizou o quinto episódio da web-série Subsolo e foi, entre outros, produtora executiva da longa-metragem Ama Romanta de Vasco Bação, que marcou presença no IndieLisboa 2019. Gonçalo Lamas é um artista e escritor natural do Porto. Depois de estudar cinema no Porto e em Bournemouth, foi aceite no curso de Belas Artes (4D) da Central Saint Martins de onde se formou em 2017, com um semestre na Universität der Künste (Berlim) pelo meio. O seu mais recente projeto é a performance Boeing Nº 737-800 em Fá#m, apresentada na Culturgest do Porto, em 2020. Uma publicação paralela foi lançada internacionalmente na 6ª edição da Artist Self-Publishers’ Fair, em Londres. Em 2022, a SPAM Press editará some times, zero hours, o seu primeiro panfleto de poesia em inglês. Granary Squares é o seu primeiro trabalho para o grande ecrã. Tomás Paula Marques (Porto, 1994) é uma artista visual licenciada em Realização e Imagem pela Escola Superior de Teatro e Cinema e pós-graduada em Sociologia pelo ISCTE. A sua primeira curta-metragem Sem Armas estreou no IndieLisboa 2016 e o seu filme final de curso Em Caso de Fogo (2019) tem viajado internacionalmente, tendo ganho o Prémio Orona no Festival Internacional de San Sebastián. Nos últimos anos, trabalhou em Montagem com pessoas realizadoras como João Pedro Rodrigues, Cristiana Cruz Forte e Daniel Veloso. Actualmente, Paula Marques desenvolve um projecto de Mestrado na Elías Querejeta Zine Eskola.
63:25 09/01/2021
Directors' Talks 2021 - Maxence Stamatiadis + Camilo Restrepo + Shelly Silver [EN]
O IndieLisboa lança a primeira Directors' Talks, com Camilo Restrepo (Foco Silvestre), Maxence Stamatiadis (Au jour d’aujourd’hui) e Shelly Silver (Girls | Museum), moderada por Ricardo Vieira Lisboa, programador do festival. Esta conversa foi gravada dia 28 de Agosto durante o IndieLisboa 2021. Nascido em Medellín, Colômbia em 1975, Camilo Restrepo vive e trabalha em Paris. Os seus filmes foram seleccionados para a Quinzena dos realizadores em Cannes e para festivais como Toronto e Nova Iorque. Restrepo ganhou a Pardino d’Argento no Festival de Locarno duas vezes. Maxence Stamatiadis é um diretor Franco-Grego nascido em 1988 em Paris. Formou-se na École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs (ENSAD) de Paris em 2012. As suas curtas-metragens têm sido seleccionadas e premiadas em festivais como Locarno, Clermont-Ferrand ou Thessaloniki e exibidos em sessões especiais na Cinémathèque Française. Os seus outros trabalhos incluem instalações de vídeo e foram exibidos em feiras de artes como o Salon de Montrouge. Au jour d’aujourd’hui é a sua primeira longa-metragem. Shelly Silver mora em Nova Iorque e é uma artista que trabalha com imagens estáticas e em movimento. O seu trabalho explora a disputa entre o público e o privado, narrativa e documentário e - principalmente nos últimos anos - a relação entre vigiar e ser vigiado. As suas obras trabalhos foram exibidas em todo o mundo, em sítios como o MoMA de Nova Iorque, o Tate Modern, o Centre Georges Pompidou, entre outros. Silver é professora associada e directora do programa de imagem em movimento e artes visuais na Universidade de Columbia.
67:42 08/31/2021
Directors' Talks 2021
IndieLisboa Directors' Talks são conversas sobre cinema entre a nossa equipa e cineastas presentes na edição de 2021 do festival. Descobre mais sobre os nossos filmes e acompanha-nos em indielisboa.com e redes sociais. ___ IndieLisboa Directors' Talks: conversations about cinema between our team and filmmakers at IndieLisboa 2021. Find out more about our films and follow us on indielisboa.com and social media.
00:15 08/27/2021